Blog do Rafa
Sem namorada ¬¬ II

 

Blog do Rafa - Sem namorada ¬¬Sei que demorei a escrever... Então continuando o que eu estava escrevendo: Recebi uma carta da Tais. Aqui na escola há várias pessoas com o mesmo nome e só agora eu notei que há mais de um Rafael na escola, só não sei se o nome dele é simples igual ao meu. Na minha sala também tem uma Tais só que o nome dela é com H depois do T e esta aqui eu não sei, mas a carta diz que existe alguém interessado em minha pessoa. 

Uma pessoa que não é a Tais e usa na assinatura uma letra P usou uma tática interessante. No dia dos namorados ela resolve me entregar uma carta com palavras legais e eu tenho que encontrar quem ela é, em dois dias, antes que a menina resolva não mais gostar de mim. Acho que é um bom jogo e como não envolve morte, nem mesmo outros meninos, lá vou eu e como muitas vezes leio na web: Desafio aceito!

Minha demora para escrever também partiu desse jogo. No dia 12 que foi depois deu ter recebido a carta eu não fazia a mínima ideia de quem poderia ser a pessoa. Fiz uma pré-seleção de quem poderia ser pela chamada que vi com muita conversa na aula de matemática onde a Tais estivesse lá. Cheguei a duas pessoas: Pamela e Paloma.

No dia 13 fique olhando intervalo inteiro a Tais, até saber quem poderia ser a pessoa esperada. Após o intervalo, quase da mesma forma como ela me entregou a carta, eu a cutuquei e joguei limpo: ‘Qual das duas pessoas: Pamela ou Paloma?’. Ela ficou sem saber o que dizer e me pareceu legal descobrir quem estava por traz disso tudo. Tais deu uma risada e sem saber se contava quem era ou não, começou a falar divagar tentando encontrar a pessoa ao fundo (direção contrária à minha) para receber o OK dela via olhar e falar qual das duas. Acho que isso deu certo, pois quando eu ia perguntar mais alguma coisa, ela me falou bem baixinho: ‘...é a Pamela. Aqui ali ó.’

As borboletas tinham virado gaviões e eu disfarcei olhando para traz e vendo a Pamela. Não é magra, usa o mesmo uniforme que eu, tem um cabelo grande e típico de menina em cores castanhas e parece ser bem feliz. Um novo sentimento me encheu e eu consegui dizer para a Tais pedir o resto do dia para eu pensar se sim ou se não (ficar ou não com ela). Consegui, tenho 12 horas para pensar se sim ou se não.

Infelizmente a parte mais legal ficará para as próximas linhas. Outro motivo em demorar a atualizar aqui é uma mudança que quero fazer do Blog do Rafa e assuntos pessoais. Mês de festa junina é sempre muito corrido, muitas festas principalmente em família. 

FOTO: Flickr

 







Sem namorada ¬¬

Não que eu não tenha notado, mas sei que muitas pessoas na escola andam pedindo um namorado ou namorada nova. A vantagem de não estar em faculdade é que podemos ser mais ‘crianças’ sem parecer tão criança se é que você me entende (fiquei sabendo que na faculdade, muitas atitudes são abolidas).

Como eu não estou namorando, não quero ficar correndo atrás de ninguém só pra eu não ser visto como um eterno solitário. Prefiro ficar na minha e quem sabe praticar uma boa ação, quem sabe né? Pensando assim cá estou eu, na sala de aula escrevendo um pouco pra que muitos leiam e devo dizer que nesses dias de chuva não consegui fazer nada de produtivo, nem mesmo ligar para os amigos e pensar em algo legal para essa semana, mas tudo bem sei que o Cesar e o Pedro sempre têm coisas ‘interessantes’ a dizer, afinal eles moram perto da escola.

A parte mais chata da véspera do dia dos namorados é sem dúvida o intervalo. Vinte minutos que em um dia chuvoso, a escola parece ser um formigueiro com 70% das meninas sendo xavecadas direta ou indiretamente por mais de um menino e você só tem um local pra ficar longe disso: a cantina. Posso dizer que a cantina é um bom lugar, apesar de que ainda na cantina há meninos pagando lanche para as meninas na triste sensação de que essa semana vai ser boa (uns beijos quem sabe), mas o ambiente é mais agradável. Estou andando tanto hoje que nem sei se vou conseguir não estar cansado quando entrar na sala de aula. Muito chato ver seus amigos falando sobre coisas fúteis que não faz nenhum sentido na sua vida, então por isso estou aqui andando e falando com quem eu conheço (além do Cesar e do Pedro).

O sinal indicando o fim do intervalo acontece revelando mais cinco minutos de tumulto antes de todos os alunos se acomodarem em suas salas. Não era assim antes da sétima série, mas vejo que isso só piora conforme mudamos de série. 

Enfim, cá estou eu olhando alguns bobos falando trechos de funk pra chamar a atenção, outras meninas olhando no minúsculo espelho da maquiagem para mostrar o quanto são belas com seus cabelos modificados e alguém me tocou nas costas (cutucão), eu já volto a escrever, vai parecer estranho eu falando e escrevendo ao mesmo tempo.

 

PS: Recebi uma carta







[ Página principal ] [contato] Atribuição